Nova solução de gestão técnica centralizada da Infocontrol

19 04 2010

A Infocontrol encontra-se neste momento a comercializar a solução web da GTC (gestão técnica centralizada) da Infocontrol, sem quaisquer custos adicionais de licenças, e que permite a implementação de várias funcionalidades, utilizando os recursos web já incorporados de base em todos os autómatos Saia PCD.

«Num edifício de serviços (por exemplo, escritórios), onde coexistem diversas instalações técnicas e existe a necessidade de diversas pessoas poderem comandar parte dessas instalações (ar-condicionado, iluminação por pisos, verificação de consumos) a optimização na exploração da GTC é conseguida na descentralização de operação pelos diferentes responsáveis», explica a empresa.

Segundo a Infocontrol, a nova solução GTC permite acabar com a «centralização de operações», o que muitas vezes se torna uma «limitação na exploração do sistema de gestão técnica centralizada».

Casos práticos GTC Infocontrol
Um segurança que esteja na recepção poder «comandar as iluminações de um piso quando alguém vai trabalhar ao fim-de-semana.
O director de um serviço poder regular o setpoint de temperatura da sua sala a partir do seu PC.
O responsável pela exploração do edifício poder consultar todos os consumos e respectivos custos directamente via Internet Explorer.
O responsável de manutenção poder aceder a partir de um PDA remotamente aos registos de alarmes e verificar de imediato o problema.





Tecnologia RFID chega às portas dos quartos do Porto Trindade Hotel

30 03 2010

O Portaro Connect, uma solução que integra portas e aros corta-fogo com um sistema de controlo de acessos on-line, idealizado pela Vicaima e pela Cifial, foi o sistema seleccionado pelo Porto Trindade Hotel.

O sistema baseia-se num controlo de acessos por RFID, o que afasta a necessidade de introduzir um cartão na ranhura da porta do quarto – basta apenas aproximá-lo do leitor. «Esta solução permite igualmente integrar uma porta com um design mais clean uma vez que aqui não será necessário aplicar outros acessórios para além do puxador», explicam os responsáveis pelo desenvolvimento do Portaro Connect.

«Entre muitas vantagens, deixamos de nos incomodar com problemas derivados da perda ou furto de cartões, o que obrigava a uma segurança reforçada e envolvimento do staff nesta resolução. Deixamos também de realizar tarefas como percorrer todas as portas do edifício para recolher informação das fechaduras, cancelar cartões de staff/hóspedes, configurar novas definições/permissões ou configurar horários das portas», refere Paulo Freitas, director do Porto Trindade Hotel.

«A nível operacional, o produto é muito funcional porque pode ser totalmente adaptado a cada situação. Ao nível de gestão, contribui para a poupança financeira, flexibilidade de tempo, mão-de-obra e melhoria de serviço e da informação de gestão porque as decisões têm efeito imediato em todo o edifício. O administrador do sistema central, pode gerir vários hotéis em simultâneo, via web, pda ou telemóvel», acrescenta Filipe Ferreira, administrador da Vicaima.

O Portaro Connect é o resultado de um investimento de um milhão de euros em investigação e desenvolvimento (I&D) da Vicaima e da Cifial (fabricante de puxadores e fechaduras mecânicas que aliam tecnologias e sistemas de controlo de acesso electrónicos). Segundo os responsáveis, 5% dos lucros das vendas deste sistema vai continuar a ser aplicado em I&D.





APSEI prepara lançamento de manual de segurança contra incêndios

3 12 2009

A Associação Portuguesa de Segurança Electrónica e Protecção de Incêndios (APSEI) prepara-se para publicar este mês o Manual de Exploração de Segurança Contra Incêndio em Edifícios, um livro técnico da autoria de Carlos Ferreira de Castro e António Possidónio Roberto.

Segundo a entidade, esta «publicação pretende apoiar a concepção, gestão e fiscalização das medidas de segurança dos edifícios», bem como «fornecer orientações práticas, informação sucinta e de fácil consulta aos profissionais da segurança».

O manual é dirigido aos diversos profissionais da segurança, incluindo os propietários de edifícios, responsáveis de segurança, delegados de segurança contra incêndio, técnicos de instalação e manutenção de segurança, técnicos de higiene e segurança no trabalho e técnicos de fiscalização de obras.

As entidades fiscalizadoras de medidas de auto-protecção, projectistas e alunos, docentes e entidades de formação na área da segurança também estão entre os públicos-alvo apontados pela APSEI.

A pré-reserva deste manual pode ser feita aqui.