Arquiled ilumina resort de luxo

2 06 2010

A Arquiled, uma PME fabricante de iluminação LED, conquistou «mais uma referência a nível do Turismo em Portugal»: o Cascade Resort em Lagos.

Este empreendimento procedeu à substituição da iluminação inicialmente projectada, tendo optado por converter cerca de mil fontes de luz de tecnologia convencional halogéneo de 50W por mil fontes de luz de tecnologia led de 6W.

«O contrato com a Arquiled implicou a conversão da iluminação das zonas comuns (corredores, varandas dos quartos, lobby), estando neste momentos a ser estudada uma intervenção similar para o SPA e iluminação exterior do resort», refere a empresa.

Segundo dados da Arquiled, esta operação vai permitir a este empreendimento de luxo, implantado numa área de 38 hectares, «uma poupança energética de nove vezes menos de consumo nas zonas ate agora intervencionadas ao nível da iluminação».

Localizado sobre as falésias da Praia do Canavial, às portas da Cidade de Lagos, o Cascade Resort é constituído por 20 moradias, 58 apartamentos T1 e T2 e um hotel de 5 estrelas. Recorde-se que a Arquiled, uma PME sedeada em Mora, forneceu já este ano a iluminação externa do Crowne Plaza Vilamoura.

Anúncios




Iluminação LED chega ao Fluviário de Mora

1 03 2010

O Fluviário de Mora adjudicou à Arquiservice, empresa do Grupo Arquiled, um projecto de conversão das actuais fontes de luz de tecnologia convencional (incandescentes, lâmpadas de descarga e fluorescentes tubulares), para a tecnologia LED.

A potência total instalada em iluminação, no valor de 19,3kW, será assim reduzida para 2,5kW, cerca de 87 por cento menos que o valor actual. Segundo a administração do Fluviário de Mora, isto vai traduzir-se numa poupança mensal dos consumos mensais ordem dos 73 mil kWh. Este valor representa ainda uma redução nas emissões de GEE: 28 toneladas de CO2, 146kg de SO2 e 73kg de NOx.

«Este investimento permite ao Fluviário de Mora dar mais um passo no sentido da eco-eficiência, sendo de um importante contributo e exemplo para a necessidade de adopção de medidas que reduzam a factura ecológica associada à produção de energia, com vista a um futuro sustentável», reforçam os responsáveis por este fluviário.

Em termos financeiros, esta poupança representará ainda uma «redução anual de custos de energia na ordem dos 6400 euros», além da «redução de custos de manutenção», uma vez que o serviço contratado inclui a «manutenção preventiva e correctiva dos equipamentos».

A tecnologia LED também vai trazer «benefícios ao nível do conforto» para os visitantes do Fluviário de Mora, uma vez que é uma tecnologia que não emite radiação UV e não emite calor, o que reduz «significativamente as necessidades de climatização e o consequente consumo energético».

A intervenção a ser realizada pela Arquiservice baseia-se num modelo inspirado no modelo ESCO (Energy Services Company), o qual permite ao Fluviário «beneficiar das vantagens da tecnologia sem qualquer necessidade de investimento, sendo a utilização do equipamento paga através das poupanças obtidas», explicam os responsáveis.

Com 440 mil entradas até ao momento, o Fluviário de Mora comemora o seu 3.º aniversário a 31 de Março e apresenta mais de 500 peixes de 55 espécies diferentes de todo o mundo em habitats naturais, aquáticos e terrestres, num percurso entre a nascente e a foz de um rio.